Milu Loureiro nasceu nos dias longos e quentes do verão numa vila da Beira Alta, Aguiar da Beira. 
Licenciou-se em Filologia Românica na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. A partir daí dedicou-se ao que sempre gostou de fazer: ensinar. Desempenhou durante vários anos as funções de professora bibliotecária e foi no desempenho desta grata missão que redescobriu a paixão pelas histórias. Foi na Biblioteca Escolar, a contar histórias aos mais pequenos, que esta paixão se reacendeu. Depois, passar ao ato da escrita foi um passo. Entretanto deixou o ensino e agora brinca com as palavras, brinca com as ilustrações, brinca com as agulhas, linhas e retalhos de tecidos na confeção de tapetes narrativos e brinca às narradoras de histórias… e é feliz!

Livros publicados: A Sinfonia Pastoral (2015 – tradução adaptada), A manta que dava abraços (2014); Castanho e Branco (2014 – como ilustradora); El-Rei Comilão (2013); A mantinha de retalhos (2013); O esquilo que amava as palavras e outras histórias (2010). Está ainda representada em três coletâneas de contos.

 

Livros publicados na Âncora Editora

Nem Todos os Pardais São Pardos (em co-autoria com Joana Rita)