António Loja nasceu no Funchal, em 1934. É licenciado em Ciências Históricas e Filosóficas, e em Ciências Pedagógicas, pela Universidade de Coimbra.
Em 1966, é chamado pela terceira vez a prestar serviço militar obrigatório, tendo sido destacado para a então colónia da Guiné, no comando duma companhia de Infantaria, onde permaneceu dois anos. Após o seu regresso, participou na acção política, candidatando-se numa lista de Oposição Democrática pelo círculo do Funchal, nas “eleições” de 1969. Foi nomeado Presidente da Comissão Administrativa da Junta Geral do Funchal, após o 25 de Abril de 1974, cargo do qual se demitiu em 1975, na perspectiva de uma nomeação baseada nos resultados eleitorais.
Foi deputado à Assembleia da República, entre 1976 e 1979, e à Assembleia Regional da Madeira entre 1980 e 1984.
Foi professor do ensino secundário entre 1972 e 2000, data em que se aposentou, com interrupções decorrentes do exercício de cargos políticos.
Editou e dirigiu a publicação de duas revistas: Atlântico e Arquipélago. Publicou duas obras de investigação histórica: A Luta do Poder contra a Maçonaria e Crónica de uma Revolução – A Madeira na Revolução Liberal (Colecção Funchal 500 anos), relatando a sua experiência na guerra colonial, As Ausências de Deus e em ficção, Como um Rio Invisível, Regressos (2 volumes), Às Cinco da Tarde e O Advogado de Roma.

 

Livros publicados na Âncora Editora:

As Ausências de Deus

O Advogado de Roma

A Luta do Poder contra a Maçonaria

Livro da Ensinança de Bem Cavalgar a toda a Célia

Uma Estrada para Alcácer Quibir