O Judaísmo em Belmonte no Tempo da Inquisição

19,50 € cada Largura: 15 cm
Altura: 23 cm


+

Especificações

978 972 780 582 2
400
1.ª Edição - Dezembro de 2016

Jorge Martins

As fontes inquisitoriais consultadas indiciam que os antepassados dos primeiros cristãos-novos belmontenses presos pela Inquisição eram naturais de Belmonte, pelo que podemos afirmar sem grande margem de dúvida que, pelo menos alguns deles, seriam descendentes da comunidade judaica belmontense quatrocentista, anterior ao decreto de expulsão de D. Manuel, promulgado em 1496. 
No Tempo da Inquisição, os cristãos-novos nunca abandonaram Belmonte, nem o judaísmo, antes lá permaneceram de geração em geração ao longo dos séculos XVI, XVII e XVIII, sujeitos às perseguições inquisitoriais. As datas dos registos dos últimos que foram processados pela Inquisição – meados do século XVIII –, demonstram que não é crível que tivessem desaparecido todos daquela vila para serem substituídos por um casal na geração seguinte, legitimando-se assim a tese de que a atual Comunidade Judaica de Belmonte tem ascendência secular belmontense.